Pesquise aqui

 

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Uso do Pronome Demonstrativo: Exemplos da Função Contextual

Uso do Pronome Demonstrativo: Exemplos da Função Contextual
Por: Juliana Barreto*


Olá, pessoal! Que bom que estão aqui visitando esta página!

As dicas abaixo dizem respeito a uma das três funções de uso do Pronome Demonstrativo. Lembram dele? Este.. esse... aquele...
Pois bem! Há três funções através das quais o Pronome Demonstrativo se manifesta numa frase: espacial, temporal e contextual. Esta última se dá, principalmente, de duas formas específicas. É com esse objetivo que as dicas se fazem abaixo. Bons estudos!

Uso do Pronome Demonstrativo

Para escolher qual demonstrativo usar, é necessário compreender se o que está em questão na frase é o espaço (função espacial), o tempo (função temporal) ou o contexto (função contextual). Para entender melhor esta última função, seguem as dicas! Fiquem ligados.

Função Contextual do Pronome Demonstrativo: Regra da Proximidade

É usada quando houver, na frase, mais de um referente. Assim, o Pronome Demonstrativo será usado exatamente para que não haja ambiguidade, e não se confunda sobre “quem” ou “quê” se fala.

Ex.

Havia dúvidas, barulhos e medos que assustavam a vítima. Estes eram, inclusive, causadores de pesadelos.
Estes: Usou-se para dizer que se refere a “medos”, e não a “barulhos” ou “dúvidas”. Ou seja, quando há mais de uma referência, usa-se a Regra de Proximidade na frase. Este/Esta/Isto: para o elemento mais próximo na frase, dentre as possíveis referências.

Joana e José são filhos de Pedro. Esse já possui três anos de idade.
Esse: Usou-se para dizer que se refere a “José”, e não a “Pedro” ou “Joana”. Ou seja, quando há mais de uma referência, usa-se a Regra de Proximidade na frase. Esse/Essa/Isso: para o elemento intermediário na frase, dentre as possíveis referências (no caso de haver três referências).
Veja que, nesse exemplo anterior, caso se quisesse falar de Joana, além de usar o demonstrativo no feminino, usar-se-ia “aquela”: referente mais distante na frase.

Obs.: Havendo apenas dois referentes, usa-se Este/Esta/Isto para o mais próximo na frase; e Esse/Essa/Isso ou Aquele/Aquela/Aquilo para o mais distante.

Função Contextual do Pronome Demonstrativo: Regra da Citação

É usada quando houver apenas um referente, que tanto pode estar anafórico (antes) ou catafórico (após).

Ex.:

Armou-se muita confusão na sala. Esse era o ambiente favorito da criançada.
Esse: Usou-se porque só houve 1 referente, a “sala”, única palavra que pode ser o ambiente de que se fala. Nesse caso, a regra usada foi a da Citação, e se usam: Esse/Essa/Isso, quando o ser/objeto ao qual se refere já foi citado, ou seja, relação anafórica.

Obs.1: Usa-se Este/Esta/Isto quando a relação for catafórica: ainda será citado o referente.
Obs.2: Não se usa “Aquele/Aquela/Aquilo” nesta regra.


Este conteúdo é inédito e exclusivo. Ele foi adaptado para ser explicado aqui na página. A teoria completa pode ser encontrada na Apostila Exclusiva do Método Eu Te Aprovo, feita exclusivamente para a Gramática Tradicional da Língua Portuguesa, indispensável para fazer uma Redação Nota Mil no Enem, ou ser aprovado em um concurso público.
Adquira no link abaixo:





*Juliana Barreto é Mestra em Letras pela Universidade Estadual de Montes Claros-MG (2015), graduada em Letras/Português pela Universidade Estadual de Montes Claros-MG (2006), criou e está aperfeiçoando este método de aprendizagem de Língua Portuguesa, que é não apenas inédito, mas também inovador. O Método Eu Te Aprovo traz uma maneira fácil e prática de ler, estudar, escrever. Se você sonha em ser nota mil, está no lugar certo. A partir de mais de 10 anos de prática em sala de aula de pré-vestibulares e pré-concursos, e de mais de 15 anos de prática de revisão de textos, aprendi que nosso sonho tem, sim, um preço. Mas custa muito barato se soubermos buscar nas fontes certas. Chegue mais, eu acredito em você. E você? Acredita em si mesmo? 



*Contato: metodoeuteaprovo@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário